Refeno - a Regata

Olá,

Saudações da família Planckton!

Estamos em Recife, já voltando de Noronha. Primeiro dia de missão cumprida! Na nossa avaliação a viagem foi ótima até aqui, tudo de acordo com o planejado, e ainda ganhamos um troféu de terceiro lugar (aprendemos com o Mario Maia e corremos na categoria de barcos de metal!)


O troféu do Igor já estava garantido - o mais jovem, com direito a 2 matérias no Jornal do Comércio e takes para bandeirantes, globo e redetv... esse guri é mesmo uma sensação! E já está com 3640 milhas navegadas... será que entra no Guinnes? .

No cabanga, antes da regata nem precisa dizer que estava aquele agito! Se dois veleiros juntos já dá uma festa, imagina mais de 70 barcos? É um momento de encontros e trocas muito bacana!


A turma Rio-São Paulo em peso: Santa Paz, AnimaMare, Fram, Luthier, e muitos mais! O Kan chuh trouxe o Vmax5 (minitransat) e o Vmax3. Claro que ele não estava nos dois barcos ao mesmo tempo...o chinês baiano é arretado mas nem tanto! Também reencontramos os chilenos do Surazo, una família muy linda que nos deu ganas de navegar hasta el Chile.

No nosso primeiro dia no Cabanga foi o dia da feijoada. No dia seguinte... onde tem anima (mare) tem festa! Rolou o maior churrasco, com ajuda do Gonçalo (argentino) que mandou bem demais!! No mais, piscina, parquinho, piscina de novo...só alegria!

Nossa tripulação nos trouxe saudades de Parati - Rere e Humberto do Asolo, e Ulisses do Maloi têm barcos na Marina do Engenho (nossa casa em Parati). Também vieram o Paulinho, nosso tripulante adolescente e o Glauco, doc na Marinha. Chegaram no dia 17, para a festa de abertura, que aliás este ano deixou a desejar... faltou um bom cardápio e mais animação... Mas valeu pelo momento de entrosamento da tripulação!

A regata este ano foi atípica - contravento e fraco! Muitos barcos não conseguiram chegar e acabaram voltando para Natal ou Cabedelo. Nós fizemos em 62 horas!! E foi cansativo...Mas no último dia o vento colaborou um pouco e pudemos aumentar nossa média. O aniversário do Igor (2 anos) acabou acontecendo em trânsito...com direito a bolo, brigadeiro e bexigas!


Em Noronha a novidade este ano foi que, com o Igor acordando todos os dias as 5h30 pudemos curtir os golfinhos dando altos pulos ao lado do barco todas as manhãs! No mais praia do Sancho (o Igor amou descer no buraco da pedra!), Conceição, Cachorro, Cacimba do Padre, Vila dos Remédios, passeios de bugue, mergulho livre...

A volta, é claro, foi contravento de novo! Mas dessa vez com bastante vento! Deixamos a mestra rizada quase o tempo todo e fizemos em 50h. Muitos barcos foram para Natal. Outros desceram direto para Salvador ou Rio de Janeiro. No Cabanga poucos barcos que foram se dispersando aos poucos... Mas ainda rendeu bons churrascos e muita conversa. É estranho ficar e ver os outros partindo...é estranho ir e ver os outros ficando... saudade é um sentimento corriqueiro nessa nossa vida... muita saudade! Mas se tem é porque é bom, é de amor!

Próximo: Travessia, Tobago e Grenada
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Entre em contato

ou

Receba nossos emails